Secretários de segurança de todos o país se reuniram nesta quinta-feira (15/03), em Brasília (DF), para solicitar mais recursos do governo federal para a área de segurança. Uma carta com 15 reivindicações foi entregue durante encontro no Ministério Extraordinário da Segurança. Na avaliação do vice-governador e secretário de Segurança do Amazonas, Bosco Saraiva, foi o pontapé para a discussão de medidas que tragam o apoio que os estados precisam para enfrentar o crescimento da violência, sobretudo, do tráfico de drogas.

O secretário de inteligência do Amazonas, Herbert Lopes, também participou do encontro ao lado de Bosco Saraiva. A reunião foi conduzida pelo secretário executivo do Ministério da Segurança Pública, general Santos Cruz. O ministro Raul Jungmann que iria comandar o encontro foi ao Rio de Janeiro por causa do assassinato da vereadora Marielle Franco.

Entre outras coisas, os secretários de segurança do Brasil pediram a criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública, com repasses nos moldes do SUS, além da aprovação de uma PEC estabelecendo a transferência de 10% das arrecadações das loterias federais para financiar investimentos.

No encontro, defendeu-se a desburocratização e integração das bases de informação da segurança pública, a criação de um Banco Nacional de Organizações Criminosas, um sistema integrado de identificação civil e criminal, a padronização da divulgação das estatísticas de violência e o estabelecimento de atas nacionais e internacionais de registro de preços para aquisições do setor.

Mais apoio – Para Saraiva, os estados precisam de mais apoio financeiro para investir em novas tecnologias, reequipar as polícias e conseguir responder com mais rapidez e efetividade o crime. No Amazonas, o governo estadual planeja reestruturar o patrulhamento em todo o estado colocando nas ruas 150 novas viaturas nos próximos dias. Além disso, ainda no mês de março, será lançada uma nova base de combate ao tráfico e pirataria nos rios na região do encontro das águas, em Manaus.

Novos presídios – A pauta também incluiu o sistema prisional, pleiteando desburocratização e celeridade na análise e aprovação de projetos de reforma e construção de novos presídios e a implantação pelas operadoras de telefonia de um sistema de bloqueio de sinal de telefone e internet nos presídios.